Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Sondagem inicial

Sondagem inicial
Nos primeiros dias de aula, o professor alfabetizador tem uma tarefa imprescindível: descobrir o que cada aluno sabe sobre o sistema de escrita. É a chamada sondagem inicial (ou diagnóstico da turma), que permite identificar quais hipóteses sobre a língua escrita os alunos têm e com isso adequar o planejamento das aulas de acordo com as necessidades de aprendizagem. Ela permite uma avaliação e um acompanhamento dos avanços na aquisição da base alfabética e a definição das parcerias de trabalho entre os alunos. Além disso, representa um momento no qual os alunos têm a oportunidade de refletir, com a ajuda do professor, sobre aquilo que escrevem. Comece ditando uma lista de palavras de mesmo campo semântico
O ditado deve ser iniciado por uma palavra polissílaba, seguida de uma trissílaba, de uma dissílaba e, por último, de uma monossílaba - sem que o professor, ao ditar, marque a separação das sílabas. Após a lista, é preciso ditar uma frase que envolva pelo menos uma das palavras já mencionadas, para poder observar se o aluno volta a escrevê-la de forma semelhante, ou seja, se a escrita da palavra permanece estável.
*Alguns termos adaptados para a EJA
Reportagem completa, com muitas novidades está disponível em: http://espacoeducar-liza.blogspot.com


Bloco de conteúdos e objetivos didático para EJA

Bloco de conteúdos e objetivos didático para EJA

         A linguagem oral na sala de aula se estende para a formulação de perguntas e respostas ( saber expressar dúvidas quanto a conteúdos ou atividades a realizar, saber responder às dúvidas de colegas). Uma maior desenvoltura com a linguagem oral permitirá também aos alunos expor novos conhecimentos por meio de definições e exemplos; argumentar, selecionando informações que justifiquem suas opiniões; apresentar para os colegas resultados de pesquisas.
É fundamental também desenvolver nos educandos a capacidade de escutar. No desenvolvimento desta capacidade, além de aspectos da compreensão, estão implicadas atitudes referentes ao respeito aos colegas e ao educador.
        O trabalho pedagógico sobre linguagem oral merece planejamento e avaliação. O professor deve, intencionalmente, favorece situações reais de comunicação que estimulem o desenvolvimento da oralidade:
  • abrir espaços de conversa, onde os alunos narrem fatos que aconteceram no dia-a-dia;
  • formular perguntas cujas respostas exijam do aluno manifestação de opiniões ou compreensão do conteúdo abordado;
  • convidar constantemente os alunos a expressarem sua dúvidas oralmente;
  • convidar os alunos a fazerem intervenções na fala dos outros, complementando ou contrapondo posições;
  • organizar debates sobre os temas escolhidos;
  • organizar recitais de poesias, repentes e canções.
Em sala de aula, pode-se ainda lançar mão de estratégias de simulação e desempenho de papéis:

  • Debates sobre temas polêmicos, em que os participantes devem defender pontos de vista predeterminados;
  • Dramatização de situações do cotidiano, como conversas telefônicas, solicitações em órgão públicos, prestação de informações diversas etc;
  • dramatização de textos ou histórias conhecidas.

        Um significativo ponto de conexão entre o desenvolvimento da linguagem oral e da linguagem escrita é a leitura em voz alta. Acompanhar um texto lido em voz alta pelo professor pode ser um exercício de capacidade de escuta dos educandos. A habilidade de ler em voz alta com entonação e dicção adequada também deve ser trabalhada com os educandos. Além da capacidade de processar o texto silenciosamente, a leitura em voz alta exige o esforço adicional de reprodução oral do ecunciado, de modo a expressar seu sentindo. Lendo em voz alta pequenos textos previamente preparados diante de uma pequena audiência, os alunos podem exercitar a pronúncia, a dicção e a entonação, além da desinibição para se expor em público.



Tópicos de conteúdos e objetivos didáticos: Linguagem Oral


Tópicos de conteúdo: Narração

Objetivos Didáticos:

  • Contar fatos e experiências cotidianas sem omissão de partes essenciais.
  • Recontar textos narrativos (contos، fábulas، notícias de jornais).
  • Perceber lacunas e/ou incorrências ao ouvir a narração de fatos، experiências، ou reconto de textos narrativos.
  • Dramatizar situações reias ou imaginadas. Dramatizar contos، crônicas e obras de teatro.

Tópicos de conteúdo: Descrição

Objetivos Didáticos:

  • Descrever lugares، pessoas، objetos e processos.
  • Perceber imprecisões ou lacunas ao ouvir a descrição de lugares، pessoas، objetos e processos.


Tópicos de conteúdo: Récita e leitura em voz alta

Objetivos Didáticos:

  • Recitar ou ler em voz alta textos poéticos breves، previamente preparados.
  • Ler em voz alta pra um pequeno público textos em prosa breves، previamente preparados.
  • Acompanhar leituras em voz alta feitas pelo professor.

Tópicos de conteúdo: Instruções، perguntas e respostas
Objetivos Didáticos:

  • Dar instruções verbais. Compreender e seguir instruções verbais.
  • Identificar lacunas ou falta de clareza em esclarecimento dados por outrem.
  • Pedir esclarecimento sobre assuntos tratados ou atividades propostas.
  • Elabora questões sobre o assunto em estudo. Responder perguntas utilizando conhecimentos novos.

Tópicos de conteúdo: Definição e exemplificação

Objetivos Didáticos:

  • Perceber a distinção entre definir e exemplificar.
  • Dar exemplos de conceitos e enunciados.
  • Identificar a pertinência de exemplos para conceitos e enunciados.
  • Definir a pertinência de exemplos para conceitos e enunciados.
  • Definir conceitos (explicá-los com as próprias palavras).
  • Avaliar a adequação de definições e conceitos.

Tópicos de conteúdo: Argumentação e debate

Objetivos Didáticos:

  • Posicionar-se em relação a diferentes temas tratados.
  • Identificar a posição do outro em relação a diferentes temas tratados.
  • Defender posições، fundamentando argumentos com exemplos e informações.
  • Reconhecer os argumentos apresentados na defesa de uma posição، avaliando a pertinência dos exemplos e informações que o fundamentam.
  • Fazer intervenção coerentes com os temas tratados.
  • Avaliar a coerência das intervenções feitas por outros.
  • Respeitar o turno da palavra.

IMPORTANTE:no início، deve-se priorizar situações em que os aluno ouçam e falem de experiências vividas. Mais adiante، pode-se sugerir que façam breves exposições sobre conhecimentos recém-adquiridos.




Proposta curricular da EJA. Bloco de conteúdos e objetivos didáticos p.62 a 65.

sábado, 17 de março de 2012

IMPEDINDO A APRENDIZAGEM DA LEITURA

Regras que professores NÃO deviam seguir:

1 – Esperar um domínio precoce das regras de leitura.

2 – Garantir que as regras de fonologia sejam aprendidas e usadas.

3- Ensinar letras e palavras uma de cada vez, tendo a certeza de que uma foi aprendida antes de passar para a seguinte.

4 – Fazer a leitura perfeita de cada palavra o seu objetivo principal.

5- Não estimular a adivinhação; insistir para que as crianças leiam cuidadosamente.

6-Insistir na precisão o tempo todo.

7- Corrigirmos erros imediatamente.
8- Identificar e tratar os leitores problemáticos o mais cedo possível.

9- Usar cada oportunidade durante o ensino de leitura para melhorar a ortografia e a expressão escrita e insistir também para que falem a língua da maneira mais correta possível

TRABALHANDO COM LETRAS

TRABALHANDO COM LETRAS,
PALAVRAS E TEXTOS


No trabalho em classes de alfabetização não existe uma ordem fixa em que as coisas têm de ser feitas. Os alunos não aprendem aos pedaços, um item depois do outro, do mais fácil para o mais difícil. Pelo contrário, eles aprendem fazendo muitas relações entre tudo o que faz parte do que chamamos de campo conceitual da alfabetização.


O que vem a ser isso? É um conjunto de situações que dão sentido aos atos de escrever e ler. Por isso eles aprendem escrevendo e lendo. Para que isso aconteça, o professor deve propor diariamente atividades que envolvam letras, palavras e textos. Não pode se enganar achando que se está trabalhando com textos já está naturalmente trabalhando com palavras e letras.


Durante o processo de alfabetização o professor deve criar situações didáticas que permitam aos seus alunos pensar sobre a escrita e deve estar atento às especificidades do trabalho com letras, com palavras e com textos. Seus objetivos para os três não são os mesmos e todos são igualmente importantes

                                                PARA O ALUNO PRÉ-SILÁBICO
Associar palavras e objetos;
Memorizar palavras globalmente;
Analisar palavras quanto ao número de letras, inicial e final;
Distinguir letras e números;
Reconhecer as letras do alfabeto (cursiva e bastão);
Familiarizar-se com os aspectos sonoros das letras através das iniciais de palavras significativas;
Relacionar discurso oral e texto escrito;
Distinguir imagem de escrita;
Observar a orientação espacial dos textos;
Produzir textos pré-silabicamente;
Ouvir e compreender histórias;
Identificar letras e palavras em textos de conteúdo conhecido.




PARA O ALUNO SILÁBICO
Reconhecer a primeira letra das palavras no contexto da sílaba inicial;
Comparar palavras memorizadas globalmente com a hipótese silábica;
Contar o número de letra das palavras;
Desmembrar oralmente as palavras em suas sílabas;
Reconhecer o som das letras pela análise da primeira sílaba das palavras;
Reconhecer a forma e as posições dos dois tipos de letras: cursiva e maiúscula;
Identificar palavras em textos de conteúdo conhecido (qualquer tipo de palavra);
Produzir textos silabicamente;
Ouvir e compreender histórias;
Completar palavras com as letras que faltam (observando que o número de letras presentes exceda sempre o número de sílabas da palavra
).


PARA O ALUNO ALFABÉTICO

Compor palavras com sílabas;
Decompor palavras em suas sílabas;
Produzir textos alfabeticamente;
Ler textos de seu nível;
Completar palavras com as sílabas que faltam;
Observar a segmentação entre as palavras no texto;
Observar os sinais de pontuação;
Ouvir e compreender histórias;
Completar textos com palavras;
Construir frases com palavras dadas