Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.

domingo, 28 de julho de 2013

PROJETO: CENTENÁRIO DE VINÍCIUS DE MORAES

Projeto-Centenário de Vinícius de Moraes


PROJETO:  CENTENÁRIO DE VINÍCIUS DE MORAES
O ENCANTO E O CANTO DE VINÍCIUS DE MORAES
BRINCANDO E APRENDENDO COM A ARCA DE NOÉ
Duração: Durante o ano de 2013 ou no 2º semestre
Justificativa:
  Considerando que numa turma de primeiro ano, a leitura e a escrita são trabalhadas de forma prioritária,  e que é importante o educador propor atividades lúdicas que favoreçam a evolução da escrita das crianças, utilizando-se, sobretudo da linguagem visual e auditiva, permitindo que as crianças sejam autoras de suas próprias obras; e ainda que, a formação dos futuros leitores e escritores está vinculada à presença constante dos diversos gêneros textuais, é que darei inicio ao Projeto , que se estenderá do inicio do ano letivo até a sua culminância em novembro, quando faremos a apresentação. Escolhi este  tema Vinicius de Moraes, homenageando-o pelo seu Centenário.
         Há a necessidade de trabalhar o aspecto social, respeitando o interesse dos alunos e suas necessidades proporcionando uma variedade de experiências e vivências educativas.
Objetivo Geral:
  Oportunizar às crianças, o acesso ao universo literário de Vinícius de Moraes, mobilizado pela poesia, música, encenações, recitações de poesias, danças, etc.; levando-as a constituírem uma relação diferenciada com linguagem, ampliando seu vocabulário   e, consequentemente, tornarem-se futuros leitores e produtores de textos competentes.
Objetivos Específicos:
 -Conhecer a  obra do autor;
 -Desenvolver a capacidade de pensamento crítico;
- Apresentar aos alunos, pais e comunidade escolar a obra do grande autor;
-Introduzir o trabalho com a língua escrita através das músicas;
-Despertar nos alunos o gosto pela poesia e texto literário;
- Trabalhar as músicas sensibilizando os alunos pelos diversos ritmos musicais;
- Trabalhar através de brincadeiras a motricidade, esquema e consciência corporal;
- Trabalhar as percepções;
- Desenvolver a oralidade;
- Desenvolver afetividade e sensibilidade;
- Introduzir noções e conceitos matemáticos de forma lúdica;
- Adequar à sua obra os conceitos que envolvem meio ambiente (natureza e sociedade), despertando a consciência ecológica e a sustentabilidade;
- Identificar progressivamente algumas singularidades próprias das pessoas com as quais convive no seu cotidiano e do poeta e compositor Vinícius de Moraes.
Abertura do projeto:
Apresentação o livro: A Arca de Ninguém;
Contada  na roda de leitura e aproveitar para identificar algumas informações na capa: ilustração, conteúdo, editora e  autor;
Aproveitar para falar sobre o poeta Vinícius de Moraes;
 Exibir a história em vídeo baixados do you tube ou em Power point;
Desenvolvimento das atividades:
·         Listar, no quadro, com a ajuda dos alunos os possíveis  animais que poderiam ter entrado na arca. Aproveitar a lista de animais e  trabalhar com os  seus respectivos pares (masculinos e femininos);
·         Na Arca de Noé de nossa turma, vamos trabalhar com poemas e letras de música de Vinícius de Moraes do CD Arca de Noé 1 e 2;
·         Cada música trabalhada será um par de animais que embarcaram na Arca;
·         Uma Arca estará exposta na sala para a entrada dos animais;
Poema: As borboletas
·         O professor deverá escrever em papel pardo (em forma de cartaz) o poema  AS BORBOLETAS pendurar na parede da sala em local visível e acessível, para realizar a leitura junto com os alunos;
·         individualmente em seus cadernos os alunos irão completar o poema as palavras que estão faltando dando destaque as palavras com iniciais da consoante B;
·         Apresentação do poema para outras turmas da escola;
·         Montagem do painel na sala de aula.
Poema: O PATO PATETA
·         O professor deverá escrever  em papel pardo (em forma de cartaz) o poema O PATO PATETA  e pendurar na parede da sala, em local visível e acessível, para  realizar a leitura junto com os alunos. Na sequência o professor poderá colocar o CD (disponível no youtube) com a música do poema  e em seguida cantar com os alunos. Após cantarem o poema do Pato, os alunos deverão realizar as seguintes tarefas:
·         Identificar e copiar no caderno as palavras com a letra P;
·         Fazerem  lista de objetos com a letra P;
·         Trabalhar versos, estrofes e rimas;
·         Todos deverão ilustrar o poema;
·         O professor assumirá o papel de escriba e escrever no quadro, com a ajuda dos alunos,  um texto narrativo sobre o pato;
·         Utilizar o poema  como quebra-cabeça   para que os alunos possam colocar os  versos e palavras na seqüência correta;
·         O poema xerocado em forma de  texto lacunado para ser preenchido com palavras que faltam, visualizando sempre o poema;
·         Exemplo de texto lacunado:
 O PATO 
(VINÍCIUS DE MORAES)
Lá vem o ..................
Pata ..................,
pata ........................
La vem o ......................
Para ver o que é que há.
O Pato .............................
Pintou o ........................
Surrou a ........................
Bateu no .........................
Pulou do .........................
No pé do ..........................
Levou um .........................
Criou um .........................
Comeu um .......................
De ..............................
Ficou ..............................
Com dor no ..................
Caiu no ...........................
Quebrou a .................
Tantas fez o .................
Que foi pra ....................
A Pulga
Vinícius de Moraes
Um, dois, três
Quatro, cinco, seis
Com mais pulinho
Estou na perna do freguês
Um, dois, três
Quatro, cinco, seis
Com mais uma mordidinha
Coitadinho do freguês
Um, dois, três
Quatro, cinco, seis
Tô de barriguinha cheia
Tchau

·         Para trabalhar o poema A PULGA, o professor deverá utilizar a mesma sequência de trabalho desenvolvida no poema AS BORBOLETAS E O PATO:
·         Escrever o poema em papel pardo, fixar o cartaz na parede, fazer leitura coletiva e individual;
·         Cantar o poema com os alunos;
·         Trabalhar com lista de palavras (animais nocivos ao homem);
·         Trabalhar a escrita dos números de 1 a 10;
·         Ilustrar o poema;
·         Retornar a lista de objetos com  P, para fixar;
·         Aproveitar o tema e trabalhar com anúncios (texto informativo )sobre orientações para a prevenção de doenças transmitidas por animais (raiva, etc); 
·         Fazer, coletivamente, uma lista de cuidados que devemos ter com nossos bichinhos de estimação;
A Casa
Vinícius de Moraes
Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na rua dos bobos
Número zero.

·         Confeccionar cartaz com o poema A CASA e fixar na sala de aula. Levar CD com a música do poema e cantar com os alunos.
·         Ilustrar o poema;
·         Trabalhar versos, rimas e estrofes;
·         Fazer leitura coletiva do poema com os alunos;
·         Pedir que  identifiquem  no cartaz, algumas  palavras principais com consoante C;
·         Trabalhe a palavra chave CASA, com que letra começa?  Quantas letras tem a palavra? Quantos pedacinhos, sílabas?Vamos contar nas palminhas? CA-SA; Que outras palavras vocês conhecem iniciam com essa mesma letra? Vamos escrever uma lista de palavras que iniciem com a letra C?  
·         Tipos de moradias que eles conhecem, o professor será o escriba na produção de texto que fale sobre o lugar onde eles moram, interrogue-os, questione-os, levem-nos a pensar e analisar a situação,                                                                                                                                              
 O RELÓGIO
VINÍCIUS DE MORAES
Passa tempo, tic-tac
Tic-tac, passa hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
E já perdi toda alegria
De fazer meu tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
·         Fazer leitura coletiva do poema fixado na parede da sala;
·         Cantar o poema (utilizar CD);
·         Escrever lista de palavras com R;
·         Fazer lista dos dias da semana e dos meses do ano ( professor, leia depois cada palavra com os alunos, identifique meses que começam com a mesma letra , que tem o mesmo número de sílabas, identifique o mês em que os alunos fazem aniversário, etc. Faça o mesmo com os dias da semana);
·         Montar calendário, identificando os feriados , dias úteis da semana e finais de semana;
 A Foca
Vinícius de Moraes
Quer ver a foca
Ficar feliz?
 É por uma bola
 No seu nariz.
 Quer ver a foca
Bater palminha?
É dar a ela
Uma sardinha.
Quer ver a foca
Comprar uma briga?
É espetar ela
Na barriga!
Assim como os outros poemas este também deverá ser escrito no cartaz e afixado em sala de aula;
·         Fazer leitura coletiva do poema;
·         Cantar o poema com os alunos;
·         Ilustrar o poema;
·         Escrever lista de palavras que iniciam com a letra F;
·         Escrever texto coletivo (professor assume o papel de escriba) sobre a foca ou outros animais que vivem no circo;
·         Preencher lacunas.
Poema: O gato
Poema: O pinguim
Poema: O elefantinho
Poema: A corujinha
Poema: As abelhas
 OUTRAS ATIVIDADES:
·         Aproveite para colocar em ordem alfabética as palavras escritas nas listas.
·         Realize atividades de cruzadinhas envolvendo adivinhações sobre os animais.
·         Peça que recortem e colem  letras e jornais ou revistas  para montarem  palavras no caderno.
·         Brinque de Bingo com nomes de animais e objetos.
·         Utilize o alfabeto móvel para construir frases relacionadas aos poemas.
·         Promova Jogos de sílabas e letras.
·         Faça autoditado, utilizando gravuras com as palavras dos poemas.
·         Estimule a escrita dos poemas que os alunos já conhecem de cor.
·         Gravuras, murais, cantinhos, livros, discos, CDs e outros coletados;
·         Realizar  leituras de imagens através da internet.
Recursos Complementares
Vídeo Arca de Noé (vídeo)
O Pato Pateta (vídeo)
A Casa (vídeo)
A Pulga (vídeo)
Ainda não encontrei
A FOCA (vídeo)
O gato
O pinguim
O elefantinho

Avaliação
A avaliação processual e contínua, deverá ser realizada em todas as etapas do projeto envolvendo a observação, participação, realização de atividades, interesse dos alunos e análise reflexiva constante  das tarefas desenvolvidas em sala de aula para que assim o professor possa perceber os avanços , necessidades e dificuldades dos alunos e fazer as intervenções necessárias.
Culminância
Realização de  apresentações das poesia e/ou confecção de livrinho com as letras das músicas com dobradura de cada animal ao qual a música se referencia.


quinta-feira, 25 de julho de 2013


http://www.slideshare.net/claudiarocosta/plano-de-ensi-nino-de-ingls-6-ano

Dicas para Interpretar textos

Vou colocar aqui algumas dicas para quando você interpretar um texto:

1° - O autor escreveu com uma intenção - tentar descobrir qual é ela é a chave.

2° - Leia todo o texto uma primeira vez de forma despreocupada - assim você verá apenas os aspectos superficiais primeiro

3° - Na segunda leitura observe os detalhes, visualize em sua mente o cenário, os personagens - Quanto mais real for a leitura na sua mente, mais fácil será para interpretar o texto.

4° - Duvide do(a) autor(a) - Leia as entrelinhas,perceba o que o(a) autor(a) te diz sem escrever no texto.

5° - Não tenha medo de opinar - Já vi em sala de aula muitos alunos terem medo de dizer o que achavam e a resposta estaria correta se tivessem dito.

6° - Visualize vários caminhos, várias opções e interpretações - Só não viaje muito na interpretação.Veja os caminhos apontados pela escrita do(a) autor(a). Apegue-se aos caminhos que lhe são mostrados.

7° - Identifique as características físicas e psicológicas dos personagens - Se um determinado personagem tem como característica ser mentiroso, por exemplo, o que ele diz no texto poderá ser mentira não é mesmo? Analisar e identificar os personagens são pontos necessário para uma boa interpretação de texto.

8° - Observe a linguagem, o tempo e espaço - A sequência dos acontecimentos, o feedback, conta muito na hora de interpretar.

9° - Analise os acontecimentos de acordo com a época do texto - É importante que você saiba ou pesquise sobre a época narrada no texto, assim, certas contradições ou estranhamentos vistos por você podem ser apenas a cultura da época sendo demonstrada.

10° - Leia quantas vezes achar que deve - Não entendeu? Leia de novo. Nem todo dia estamos concentrados e a rapidez na leitura vem com o hábito.

De 5° a 8°, Enem com Gabarito


1° TEXTO

BUROCRATAS CEGOS
A decisão, na sexta-feira, da juíza Adriana Barreto de Carvalho Rizzotto, da 7a Vara Federal do Rio, determinando que a Light e a Cerj também paguem bônus aos consumidores de energia que reduziram o consumo entre 100 kWh e 200 kWh fez justiça. A liminar vale para todos os brasileiros. Quando o Governo se lançou nessa difícil tarefa do racionamento, não contou com tamanha solidariedade dos consumidores. Por isso, deixou essa questão dos bônus em suspenso. Preocupada com os recursos que o Governo federal terá que desembolsar com os prêmios, a Câmara de Gestão da Crise   de   Energia tem evitado encarar essa questão, muito embora o próprio presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, já tenha dito que o bônus será pago. Decididamente, os consumidores não precisavam ter lançado mão da Justiça para   poder   ter   a   garantia   desse   direito. Infelizmente,   o permanente desrespeito ao contribuinte ainda faz parte da cultura dos burocratas brasileiros. Estão constantemente preocupados em preservar a máquina do Estado. Jamais pensam na sociedade e nos cidadãos. Agem como se logo mais na frente não precisassem da população para vencer as barreiras de mais essa crise. (Editorial de O Dia, 19/8/01)

1) De acordo com o texto: 
a) a juíza expediu a liminar porque as companhias de energia elétrica se negaram a pagar os bônus aos consumidores.
b) a liminar fez justiça a todos os tipos de consumidores.
c) a Light e a Cerj ficarão desobrigadas de pagar os bônus se o Governo fizer a sua parte.
d) o excepcional retorno dado pelos consumidores de energia tomou de surpresa o Governo.
e) o Governo pagará os bônus, desde que as companhias de energia elétrica também o façam.

2) Só não se depreende do texto que: 
a) os burocratas brasileiros desrespeitam sistematicamente o contribuinte.
b) o governo não se preparou para o pagamento dos bônus.
c) o chefe do executivo federal garante que os consumidores receberão o pagamento dos bônus.
d) a Câmara de Gestão está preocupada com os gastos que terá o Governo com o pagamento dos bônus.
e) a única forma de os consumidores receberem o pagamento dos bônus é apelando para a Justiça.

3) De acordo com o texto, a burocracia brasileira: 
a) vem ultimamente desrespeitando o contribuinte.
b) sempre desrespeita o contribuinte.
c) jamais desrespeitou o contribuinte.
d) vai continuar desrespeitando o contribuinte.
e) deixará de desrespeitar o contribuinte.

4) A palavra que justifica a resposta ao item anterior é: 
a) infelizmente
b) constantemente
c) cultura
d) jamais
e) permanente

5) Os burocratas brasileiros: 
a) ignoram o passado.
b) não valorizam o presente.
c) subestimam o passado.
d) não pensam no futuro.
e) superestimam o futuro.

6) Pode-se afirmar, com base nas idéias do texto: 
a) A Câmara de Gestão defende os interesses da Light e da Cerj.
b) O presidente da República espera poder pagar os bônus aos consumidores.
c) Receber o pagamento dos bônus é um direito do contribuinte, desde que tenha reduzido o consumo satisfatoriamente.
d) Os contribuintes não deveriam ter recorrido à Justiça, porque a Câmara de Gestão garantiu o pagamento dos bônus.
e) A atuação dos burocratas brasileiros deixou a Câmara de Gestão preocupada.


2° TEXTO
É consenso entre os economistas que o setor automobilístico é o que impulsiona a economia de qualquer país. QUATRO RODAS foi conferir e viu que os números são espantosos. A começar pelo mercado de trabalho. Estima-se que um  emprego  em  uma  fábrica  de  carros  gera, indiretamente, 46 outros empregos. Por esse cálculo, 5 milhões de brasileiros dependem, em maior ou menor grau, dessa indústria. Até na construção civil a presença das rodas é enorme: 1 em cada 4 metros quadrados de espaço nas grandes cidades se destina  a ruas ou estacionamentos.  Na ponta do lápis, o filão da economia relacionado a automóveis movimentou, no ano passado, pelo menos 216 bilhões de dólares. Como o PIB brasileiro, nesse período, foi  de 803 bilhões de dólares (e ainda não havia ocorrido a maxidesvalorização), cerca de 1 em cada 4 reais que circularam no país andou sobre rodas em 1998. (Quatro Rodas, março/99)

7) Segundo o texto, a economia de um país: 
a) é ajudada pelo setor automobilístico.
b) independe do setor automobilístico.
c) às vezes depende do setor automobilístico.
d) não pode prescindir do setor automobilístico.
e) fortalece o setor automobilístico.

8) A importância do setor automobilístico é destacada: 
a) por boa parte dos economistas
b) pela maioria dos economistas
c) por todos os economistas
d) por alguns economistas
e) pelos economistas que atuam nessa área

9) Pelo texto, verifica-se que: 
a) alguns países têm sua economia impulsionada pelo setor automobilístico.
b) o PIB brasileiro seria melhor sem o setor automobilístico.
c) para os economistas, o setor automobilístico tem importância relativa na economia brasileira.
d) cinco milhões de brasileiros têm seu sustento no setor automobilístico.
e) em 1998, três quartos da economia brasileira não tinham relação com o setor automobilístico.

10) “A começar pelo mercado de trabalho.” Das alterações feitas na passagem acima, aquela que lhe altera basicamente o sentido é:  
a) a princípio pelo mercado de trabalho
b) começando pelo mercado de trabalho
c) em princípio pelo mercado de trabalho
d) principiando pelo mercado de trabalho
e) iniciando pelo mercado de trabalho

11) Segundo o texto, o setor automobilístico: 
a) está presente em segmentos diversos da sociedade.
b) limita-se às fábricas de veículos.
c) no ano de 1988 gerou salários de aproximadamente 216 bilhões de dólares.
d) ficou imune à maxidesvalorização.
e) gera, pelo menos, 47 empregos por fábrica de automóveis.

12) A palavra ou expressão que justifica a resposta ao item anterior é: 
a) qualquer
b) gera
c) até
d) na ponta do lápis
e) no país



3° TEXTO
Vários planetas são visíveis a olho nu: Marte, Júpiter, Vênus, Saturno e Mercúrio. Esses astros já eram conhecidos não apenas dos gregos, mas também de povos ainda mais antigos, como os babilônios.  Apesar de sua semelhança com as estrelas, os planetas eram identificados pelos povos da Antigüidade graças a duas características que os diferenciavam. Primeiro: as estrelas, em curtos períodos, não variam de posição umas em relação às outras. Já os planetas mudam de posição no céu com o passar das horas. À noite, esse movimento pode ser percebido com facilidade.    Segundo: as estrelas    têm   uma    luz   que,   por    ser    própria, pisca levemente. Já os planetas, que apenas refletem a luz do Sol, têm um brilho fixo. Os planetas mais distantes da Terra só puderam ser descobertos bem mais tarde, com a ajuda de aparelhos ópticos como o telescópio. “O primeiro deles a ser identificado foi Urano, descoberto em 1781 pelo astrônomo inglês William Herschel”, afirma a astrônoma Daniela Lázzaro, do Observatório Nacional do Rio de Janeiro. (Superinteressante, agosto/01)

13) Com relação às idéias contidas no texto, não se pode afirmar que: 
a) os gregos não conheciam o planeta Urano.
b) os gregos, bem como outros povos da Antigüidade, conheciam vários planetas do Sistema Solar.
c) a olho nu, os planetas se assemelham às estrelas.
d) os povos da Antigüidade usavam aparelhos ópticos rudimentares para identificar certos planetas.
e) os povos antigos sabiam diferençar os planetas das estrelas, mesmo sem aparelhos ópticos.

14) Infere-se do texto que a Astronomia é uma ciência que, em dadas circunstâncias, pode prescindir de: 
a) estrelas
b) planetas
c) instrumentos
d) astrônomos
e) estrelas, planetas e astrônomos

15) A locução prepositiva “graças a”  tem o mesmo valor semântico de: 
a) mas também
b) apesar de
c) com
d) por
e) em

16) “Esses astros já eram conhecidos não apenas dos gregos, mas também 
de povos ainda mais antigos...” Das alterações feitas na passagem acima, aquela que apresenta sensível alteração de sentido é: 
a) Esses astros já eram conhecidos não somente dos  gregos, como também de povos ainda mais antigos.
b) Tais planetas já eram conhecidos não apenas dos  gregos, mas também de povos ainda mais antigos.
c) Esses astros já eram conhecidos não apenas pelos gregos, mas também por povos ainda mais antigos.
d) Esses astros já eram conhecidos tanto pelos gregos, como por povos ainda mais antigos.
e) Esses astros já eram conhecidos não apenas através dos gregos, mas também através de povos mais antigos.

17) A diferença que os antigos já faziam entre estrelas e planetas era de: 
a) brilho e posição
b) beleza e posição
c) importância e disposição
d) brilho e importância
e) beleza e disposição

18) Infere-se do texto que o planeta Netuno: 
a) era conhecido dos gregos.
b) foi descoberto sem ajuda de aparelhos ópticos.
c) foi descoberto depois de Plutão.
d) foi descoberto depois de Urano.
e) foi identificado por acaso.

19) Segundo o texto, as estrelas: 
a) nunca mudam de posição.
b) são iguais aos planetas.
c) não piscam.
d) só mudam de posição à noite.
e) mudam de posição em longos períodos de tempo.


4° TEXTO
Não faz muito tempo, a mata virgem, as ondas generosas e as areias brancas da Praia do Rosa, no sul catarinense, despertaram a atenção de surfistas e viajantes em busca de lugares inexplorados. Era meados dos anos 70, e este recanto permanecia    exclusivo    de poucas   famílias   de pescadores. O tempo passou e hoje “felizmente”, conforme se ouve em conversas com a gente local, o Rosa não mudou. Mesmo estando localizada a apenas 70 quilômetros de Florianópolis e vizinha do badalado Balneário de Garopaba, a Praia do Rosa preserva, de    forma    ainda    bruta,    suas    belezas    naturais.   É   claro    que houve mudanças desde sua descoberta pelos forasteiros. Mas, ao contrário de muitos lugarejos de nossa costa que tiveram a natureza devastada pela especulação imobiliária, esta região resiste intacta graças a um pacto entre moradores e donos de pousadas. Uma das medidas adotadas por eles, por exemplo, é que  ninguém ocupe  mais de 20%  de seu terreno com construção. Assim, o verde predomina sobre os morros de frente para o mar azul repleto de baleias. Baleias? Sim, baleias francas, a mais robusta entre as espécies desses mamíferos marinhos, que chegam a impressionantes 18 metros e até 60 toneladas. (Sérgio T. Caldas, na Os caminhos da Terra, dez./00)

20) Quanto à Praia do Rosa, o autor se contradiz ao falar: 
a) da localização
b) dos moradores
c) da mudança
d) do tempo
e) do valor

21) O texto só não nos permite afirmar, com relação à Praia do Rosa: 
a) mantém intactas suas belezas naturais. 
b) manteve-se imune à especulação imobiliária.
c) não fica distante da capital do Estado.
d) no início dos anos 70, surfistas e exploradores se encantaram com suas belezas naturais.
e) trata-se de um local tranqüilo, onde todos respeitam a natureza.

22) Pelo visto, o que mais impressionou o autor do texto foi a presença de: 
a) moradores
b) baleias
c) surfistas
d) donos de pousadas
e) viajantes

23) O fator determinante para a preservação do Rosa é: 
a) a ausência da especulação imobiliária
b) o amor dos moradores pelo lugar
c) a consciência dos surfistas que freqüentam a região
d) o pacto entre moradores e donos de pensão
e) a proximidade de Florianópolis

24) O primeiro período do segundo parágrafo terá o seu sentido alterado se 
for iniciado por: 
a) a despeito de estar localizada
b) não obstante estar localizada
c) ainda que esteja localizada
d) contanto que esteja localizada
e) posto que estivesse localizada

25) O adjetivo empregado com valor conotativo é: 
a) generosas
b) exclusivo
c) bruta
d) intacta
e) azul

26) O adjetivo “badalado”: 
a) pertence à língua literária e significa importante.
b) é linguagem jornalística e significa comentado.
c) pertence à língua popular e significa muito falado.
d) é linguagem científica e significa movimentado.
e) pertence à língua coloquial e significa valiosa.



5° TEXTO
A vida é difícil para todos nós. Saber disso nos ajuda porque nos poupa da autopiedade. Ter pena de si mesmo é uma viagem que não leva a lugar nenhum. A autopiedade, para ser justificada, nos toma um tempo enorme na construção   de   argumentos   e   motivos   para nos entristecermos com uma coisa absolutamente natural: nossas dificuldades. Não vale a pena perder tempo se queixando dos obstáculos que têm de ser superados para sobreviver e para crescer. É melhor ter pena dos outros e tentar ajudar os que estão perto de você e    precisam de uma mão amiga, de um sorriso de encorajamento, de um abraço de conforto. Use sempre suas melhores qualidades para  resolver problemas, que são: capacidade de amar, de tolerar e de rir. Muitas pessoas vivem a se queixar de suas condições desfavoráveis, culpando as circunstâncias   por suas   dificuldades ou fracassos. As pessoas que se dão bem no mundo são  aquelas que saem em busca de condições favoráveis e se não as encontram se esforçam por criá-las. Enquanto você acreditar que a vida é um jogo de sorte vai perder sempre. A questão não é receber boas cartas, mas usar bem as que lhe foram dadas. (Dr. Luiz Alberto Py, in O Dia, 30/4/00)

27) Segundo o texto, evitamos a autopiedade quando: 
a) aprendemos a nos comportar em sociedade.
b) nos dispomos a ajudar os outros.
c) passamos a ignorar o sofrimento.
d) percebemos que não somos os únicos a sofrer.
e) buscamos o apoio adequado.

28) Para o autor, o mais importante para a pessoa é: 
a) perceber o que ocorre à sua volta.
b) ter pena das pessoas que sofrem.
c) buscar conforto numa filosofia ou religião.
d) esforçar-se para vencer as dificuldades.
e) estar ciente de que, quando menos se espera, surge a dificuldade.

29) A autopiedade, segundo o autor: 
a) é uma doença.
b) é problema psicológico.
c) destrói a pessoa.
d) não pode ser evitada.
e) não conduz a nada.

30) A vida é comparada a um jogo em que a pessoa: 
a) precisa de sorte.
b) deve saber jogar.
c) fica desorientada,
e) geralmente perde.
e) não pode fazer o que quer.

31) A superação das dificuldades da vida leva: 
a) à paz
b) à felicidade
c) ao equilíbrio
d) ao crescimento
e) à auto-estima

32) Os sentimentos que levam à superação das dificuldade são: 
a) fé, tolerância, abnegação
b) amor, desapego, tolerância
c) caridade, sensibilidade, otimismo
d) fé, tolerância, bom humor
e) amor, tolerância, alegria

33) Para o autor: 
a) não podemos vencer as dificuldades.
b) só temos dificuldades por causa da nossa imprevidência.
c) não podemos fugir das dificuldades.
d) devemos amar as dificuldades.
e) devemos procurar as dificuldades.





Gabarito esta abaixo.



GABARITO DOS EXERCÍCIOS:
1- d  
2- e 
3- b  
4- e 
5- d 
6- c  
7- d  
8- c  
9- e  
10- c  
11- a  
12- c  
13- d  
14- c  
15- d 
16- e 
17- a  
18- d  
19- e 
20- c 
21- d  
22- b  
23- d  
24- d  
25- a 
26- c  
27- d  
28- d  
29- e  
30- b  
31- d  
32- e  
33- c