Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Dia Mundial do Trabalho - EJA


1º de maio é o dia em que as pessoas de diversos países, comemoram as conquistas dos trabalhadores..No dia 1º. de maio de 1886, os operários, cansados da falta de direitos e das condições desumanas de trabalho, resolvem fazer uma paralisação,nos Estados Unidos , a fim de reivindicar a diminuição da jornada diária de 13 para 8 horas de trabalho. A polícia reage violentamente, e vários trabalhadores são mortos.
Assim, em homenagem às vítimas, em 1889, escolheu o 1º de maio como Dia Internacional do Trabalho. No Brasil, o 1º. de maio também foi a data escolhida para se criar o salário mínimo (1940) e a Justiça do Trabalho (1941),ambas realizações do Governo Vargas. Infelizmente, entre a mão-de-obra mundial, ainda é freqüente o uso do trabalho infantil, mesmo que ilegalmente.
Autor: Juscelino Tanaka
1 - O que se comemora no dia 1º de maio?
a. ( ) O dia da justiça
b. ( ) Homenagens as vítimas de dengue
c. ( ) O abusi do trabalho infantil.
d. ( ) As conquistas dos trabalhadores
2. Como foi escolhido o 1º de maio para comemorar essa data?
a. ( ) Por causa da Justiça do Trabalho.
b. ( ) em homenagem aos operários mortos nos Estados Unidos.
c. ( ) Por causa do salário mínimo.
d. ( ) para homenagear o índio.
3 – Cite o que foi criado no Brasil no dia 1º de maio.
________________________________________
________________________________________
________________________________________
________________________________________

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

sábado, 25 de abril de 2009

A CABANA - WILLIAM P.YONG

Terminei hoje de ler este livro.Ele é sensacional.Quem tiver a chance de ler por favor,não deixem de fazer.Você encontrara várias respostas que te incomodam na vida.Te trará uma paz e te cobrirá de esperança na vida.É um dos livros mais lindos que tive o prazer de ler.Vale a pena.
Por este motivo resolvi tirar um parágrafo e trabalhar com meus alunos valores éticos e morais,dentro de um dos princípios trabalhado neste livro que é uma preciosidade
.


Os seres humanos

Os seres humanos feridos centram sua vida ao redor das coisas que parecem boas para eles,procurando compensação.Mas isso não é pra preenchê-los nem lebertá-los.Eles são viciados em poder, ou na ilusão de segurança que o poder oferece.Quando acontece um desastre, essas mesmas pessoas vão se voltar contra os falsos poderes nos quais confiavam.Em seu desapontamento, se suavizam com relação ao criador ou se tornam mais ousados em sua independência.Os homens tentam dar sentido ao mundo em que vivem baseados numa visão pequena e incompleta da realidade.Nós não podemos "produzir" confiança,assim como não podemos "fazer" humildade.Ela exista ou não.A confiança é fruto de um relacinamento em que você é amado.Quando você desistir de decidir o que é bom ou ruim e escolher viver apenas em Deus, verá a bondade que existe nele e aprenderá a confiar-lhe sua vida.


Observação: Tive que mudar algumas palavras para fazer sentido.Mas a essencia é a mesma.

Responda:

1 - Como você encara seus medos?
2 _ Pra você de que forma Deus entra na sua vida?
3 - Explique:
a)Como é sua vida com as pessoas que você ama?
b)Como é a confiança que vocÊ deposita em Deus?
c)O que realmente é importantena sua vida?

quarta-feira, 22 de abril de 2009

ÉTICA E CIDADANIA - EJA

Fome e desigualdade social no mundo e no Brasil

Objetivos
1. Despertar nos alunos o senso de solidariedade
2. Promover discussões que valorizem o voluntariado
3. Buscar alternativas para minimizar o problema da fome em comunidades carentes

Descrição
Campanha de arrecadação de alimentos a serem distribuídos em comunidades carentes

Site Base
Portal EduKb

Atividades - Diga não à fome!


Atividades

1. Pesquisa em livros e Internet sobre a fome no mundo e seus desdobramentos;
2. Pesquisa em livros e Internet sobre a fome no Brasil e seus desdobramentos;
3. Levantamento de comunidades carentes nas proximidades da escola;
4. Planejamento de ações que possam minimizar os problemas levantados anteriormente;
5. Distribuição dos alimentos arrecadados com culminância na escola;
6. Redação e envio de carta aos governos locais mostrando resultados do projeto e pedindo atenção ao problema;

Dica para o Professor


1. A fome é um problema social gravíssimo, que cresce a cada dia em determinadas partes do mundo e de nosso país. Sem esquecer da enorme responsabilidade que o governo tem no que diz respeito ao assunto, o projeto pode vir a contribuir de forma imediata atuando em comunidades carentes que estejam nas proximidades, ou seja, que façam de alguma forma parte do contexto em que os alunos vivem. Apesar de algumas disciplinas estarem mais diretamente envolvidas nas atividades, é preciso que a mobilização envolva a escola como um todo, para que solidariedade e voluntariado não fiquem apenas no papel. E mãos à obra!

Cronograma - Diga não à fome!

. Primeira semana
Atividades 1 e 2

2. Segunda semana
Atividades 3 e 4
3. Terceira e quarta semanas
Atividade 5

4. Quinta semana
Atividade 6


Sites de Apoio

Fome Zero
Josué de Castro
Ação Fome Zero
Cidadania na Internet

Autor do Projeto
Renata Portella de Moura

QUERIDA LEITORA SUELI,ESPERO TER TE AJUDADO.BJS.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

MINERAIS - O QUE SÃO? - EJA - TEXTOS E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS


O golfinho de água doce

Já ouviste falar em golfinhos cor-de-rosa? Não?
Pois fique sabendo que existem e, ao contrário dos seus "primos" cinzentos, os botos vivem nos rios.
Os botos são iguaizinhos aos seus "primos" golfinhos! Sim, também são mamíferos, por isso se adaptaram tão bem à água doce...
O boto cor-de-rosa existe apenas nos rios da América do Sul, principalmente na zona da Amazônia brasileira e do rio Orenoco na Venezuela.

1 – Qual é o principal assunto tratado no texto:

a. ( ) Os Golfinhos cor-de-rosa.
b. ( ) Os animais mamíferos
c. ( ) Os botos cor-de-rosa
d. ( ) Os rios da Amazônia

2 – Onde vivem os golfinhos cinzentos?

a. ( ) Nos rios da Venezuela
b,( ) Nos rios da Amazônia
c.( ) No rio Orenoco
d. ( )Nos Oceanos e Mares




Minerais - O que são ?

• Não seria possível ter dentes saudáveis, ossos fortes e músculos vigorosos sem a ação dos minerais.
• Os minerais encontram-se em diferentes alimentos, desde os frutos e legumes até à carne e ao peixe. Alguns, como o cálcio e o ferro, têm uma função de construção como constituintes dos ossos e do sangue, respectivamente.

1 -Este texto :

a. ( ) Está te informando como você deve cuidar dos dentes.
b. ( ) Está te informando sobre os sabores das frutas.
c. ( ) Está te informando que os minerais se encontram em diferentes
alimentos
d. ( ) está te informando que deve-se ter ossos fortes.

2 – Os que são os sais minerais:

a. ( ) são os frutos e os legumes b. ( ) são os ossos e músculos
c. ( ) são a carne e o peixe d. ( ) são o cálcio e o ferro

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Avaliação de Ciências/ Geografia - EJA

Avaliação de Geo/ Ciências – Escola Municipal “João Alves Duca”
Nome _______________________________ Data ________________
Série: 3º EJA Valor: _____________ Ailce Costa

1 _ No processo de Reciclagem, que além de preservar o meio ambiente
também gera renda. De acordo com essa informação, quais são os materiais
mais reciclados? _________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2 – Marque V se for Verdadeiro e F se for Falso:

a. ( ) O lixo orgânico ( sobras de vegetais,frutas,esterco, etc) é utilizado
como adubo adubo orgânico na agricultura.
b. ( ) Vidros demoram 2 anos para serem absorvidos pelo meio ambiente.
c. ( ) Pontas de cigarro demoram de 10 a 20 anos para serem absorvidos
pelo meio ambiente.
d. ( ) A reciclagem do lixo é de pouca importância para a natureza.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
3 – Marque um x na resposta certa:

 O empobrecimento do solo é causado:

a. ( ) Pela dengue b. ( ) Pela sombra da árvore

c. ( ) Pelo aumento da erosão

 O desmatamento causa:

a. ( ) a poluição b. ( ) diminuição das chuvas

c. ( ) extinção de nascentes
4 – Qual é a importância da árvore na natureza?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
------------------------------------------------------------------------------------
5 – Cite 3 meios de como se previne a Dengue.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6 _ Quais são os sintomas da Dengue?

a. ( ) dor de barriga,cansaço e vômitos
b. ( ) febre, dor de cabeça e dores no corpo
-----------------------------------------------------------------------------------
7 – Crie um parágrafo onde contenha as seguintes palavras:

Solo – plantas - água – folhas – galhos - rios

sábado, 11 de abril de 2009

Trechos de contos trazem ótimas sugestões para os textos

Linguagem e expressões características de cada gênero. Cada tipo de texto tem uma forma específica de dizer determinadas coisas. "Era uma vez", por exemplo, é certamente a forma mais tradicional de dar início a um conto de fadas (note que ela não seria adequada para uma composição informativa ou instrucional). Além de colaborar para que a turma identifique essas construções, a leitura de contos clássicos pode municiá-la de alternativas para fugir do lugar-comum. O Príncipe-Rã ou Henrique de Ferro, na versão dos Irmãos Grimm, começa assim: "Num tempo que já se foi, quando ainda aconteciam encantamentos, viveu um rei que tinha uma porção de filhas, todas lindas".
Descrição psicológica. Trazendo elementos importantes para a compreensão da trama, a explicitação de intenções e estados mentais ajuda a construir as imagens de cada um dos personagens, aproximando-os ou afastando-os do leitor. Em O Soldadinho de Chumbo, Hans Christian Andersen desvela em poucas linhas os traços da personalidade tímida, amorosa e respeitosa do protagonista: "O soldadinho olhou para a bailarina, ainda mais apaixonado: ela olhou para ele, mas não trocaram palavra alguma. Ele desejava conversar, mas não ousava. Sentia-se feliz apenas por estar novamente perto dela e poder contemplá-la".
Ritmo. É possível controlar a velocidade da história usando expressões que indiquem a intensidade da passagem do tempo ("vagarosamente", "após longa espera", "de repente", "num estalo" etc.). Outros recursos mais sofisticados são recorrer a flashbacks ou divagações dos personagens (para retardar a história) ou enfileirar uma ação atrás da outra (para acelerar). Charles Perrault combina construções temporais e encadeamento de fatos para gerar um clima agitado e tenso neste trecho de Chapeuzinho Vermelho: "O lobo lançou-se sobre a boa mulher e a devorou num segundo, pois fazia mais de três dias que não comia. Em seguida, fechou a porta e se deitou na cama".

Caracterização dos personagens. Mais do que apelar para a descrição do tipo lista ("era feio, medroso e mal-humorado"), feita geralmente por um narrador que não participa da ação, que tal incentivar a garotada a explorar diálogos para mostrar os principais traços dos personagens? Nesse aspecto, a pontuação e o uso preciso de verbos declarativos e de marcas da oralidade (leia a reportagem O papel das letras na interação social) exercem papel fundamental. Neste trecho de Rumpelstichen, os Irmãos Grimm dão voz à protagonista para que ela se lamente:

"- Ah! - respondeu a moça entre soluços. - O rei me mandou fiar toda esta palha de ouro. Não sei como fazer isso!"

Para terminar, um último e imprescindível lembrete: você pode ter colocado a turma para ler e ter direcionado adequadamente a atividade para melhorar a qualidade dos textos, mas o trabalho não para por aí. Nada disso adianta se o estudante não tiver a oportunidade - mais até, a obrigação - de pôr o conhecimento em prática. Ainda que a leitura seja essencial para impulsionar a escrita, não se desenvolve o comportamento de escritor sem enfrentar, na pele, os complexos desafios do escrever.
www.revistaescola.abril.com.br

ATIVIDADES DE GEOGRAFIA - EJA

Perto e longe
Bloco de Conteúdo
Geografia

Conteúdo
Representação da Paisagem

Objetivos
- Discutir a importância do mapa e suas informações.
- Trabalhar as noções de perto e longe.
- Estimar distâncias entre a cidade em que se vive e outros pontos.

Conteúdos
- Leitura e decodificação de símbolos cartográficos.
- Identificação de topônimos (nomes próprios de lugares).

Anos
1º e 2º

Tempo estimado
3 aulas

Material necessário
Lápis preto e de cor, borracha e papel

Desenvolvimento
1ª ETAPA Pergunte aos alunos se conhecem o mapa do Brasil e fale sobre a utilidade dele. Peça que cada estudante desenhe o próprio mapa do país.

2ª ETAPA Apresente o mapa político do Brasil. Exercite a decodificação dos símbolos cartográficos (letras maiúsculas para estados, letras de diferentes tamanhos conforme a população da cidade). Ajude-os a localizar onde vivem.

3ª ETAPA Trabalhe a noção de perto e longe com perguntas. Qual é a capital mais distante de onde estamos? E a mais próxima? Estamos longe do litoral?

4ª ETAPA Peça que os estudantes comparem seus desenhos iniciais com o mapa político. Fale sobre o nome oficial do mapa e explique que ele revela as informações básicas que um cidadão precisa saber para se localizar e se deslocar pelo país.

Avaliação
Avalie o envolvimento e a produção dos alunos no desenho inicial e nos debates. Exatidão nas respostas não é fundamental, mas sim a criação de raciocínios espaciais.

Consultoria: Julia Pinheiro Andrade
Professora e formadora nas áreas de Geografia e Iniciação à Pesquisa da Escola Castanheiras, em São Paulo.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

TEXTOS SOBRE MONTEIRO LOBATO - EJA







Retirado do blog: Cantinho Pro Denise

PLANO DE AULA - ORTOGRAFIA -EJA

Conteúdo específico

Ortografia: verbos terminados em ão/am.                          

Ano
3º e 4º

Tempo necessário
Uma aula de 50 minutos.

Material Necessário
Folha de linguagem para o ditado, lápis, borracha para os alunos.

Desenvolvimento
1ª etapa Organize os alunos em duplas, sentados em suas carteiras.

2ª etapa Selecione um texto que apresente palavras terminadas em am e ão e que seja adequado para um ditado. Antes de iniciar a leitura, faça uma contextualização e comente sobre o gênero, autor, possível conteúdo, remetendo-se ao título.


3ª etapa Faça o ditado e, a cada vez que chegar à palavra representativa da questão ortográfica em foco, pergunte aos alunos de que forma deverá ser escrita. Solicite que pensem em outra palavra que se encaixe na justificativa dada, para conferir se vale ou não a explicação. Caso a resposta for incorreta, apresente um contra-exemplo para fazer com que os alunos repensem a explicação dada, reformulando-a. Se disserem, por exemplo, que convidaram se escreve com ão no final, coloque na lousa
Solicite que comparem e vejam com quais exemplos a palavra convidaram se parece mais e porquê e, dessa forma, como seria escrita.

4ª etapa Ao final do ditado, solicite que elaborem uma explicação a respeito de quando a palavra for um verbo, como é que sabemos se se escreve com am ou com ão no final. A regularidade dessa escrita deve ficar disponível na classe, afixada, por exemplo, em um mural de registro de conhecimentos ortográficos. Deve ser consultada sempre que se precisar. É muito importante que o professor mostre como utilizar o registro para que a turma tire suas dúvidas.

Avaliação
Proponha outros ditados e produções escritas e analise se os alunos utilizam o registro como fonte de referência. Se o aluno tiver compreendido a regularidade e a memorizado, não precisará recorrer a ele.

PLANO DE AULA - MATEMÁTICA - EJA - OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS

Bloco de Conteúdo
Matemática

Conteúdo
Operações com Números Naturais

Objetivos
- Refletir sobre as operações de adição e subtração e saber como relacioná-las.
- Ler e preencher tabelas.
- Esclarecer dúvidas sobre descontos e acréscimos ao salário.

Conteúdos
- Números e operações.
- Campo aditivo.

Anos
3º e 4º.

Tempo estimado
Duas aulas.

Material necessário
Cópias do modelo de contracheque.

Desenvolvimento
PREPARAÇÃO Redija um modelo de contracheque que seja próximo da realidade de seus alunos. O ideal é que ele contenha tanto acréscimos quanto deduções do salário bruto (veja uma sugestão abaixo). Deixe em branco o nome do empregado, o da empresa e o resumo dos rendimentos.

1ª ETAPA Inicie a atividade debatendo a função do contracheque. Explique que se trata de um documento em que a empresa especifica o ordenado bruto do funcionário, as deduções (de Imposto de Renda, INSS) e os acréscimos (salário-família, horas extras, gratificações). Passeie pela nomenclatura: o que significa cada linha? A que mês o recibo se refere? Pergunte aos alunos que trabalham como é o contracheque deles - tomando o cuidado de não criar constrangimento, uma vez que muitos trabalham na informalidade. Aparecem outros itens além dos apresentados?

2ª ETAPA Divida a turma em grupos de quatro alunos e peça que calculem o total de vencimentos. Observe as estratégias utilizadas para resolver o problema e selecione quais delas quer colocar em discussão. Pergunte quais são as vantagens e as desvantagens dos métodos utilizados. Repita o procedimento para obter a soma dos descontos e o valor líquido a receber.

3ª ETAPA Proponha à classe o seguinte enunciado: "O trabalhador que recebeu este salário precisa pagar as seguintes despesas: alimentação: 160 reais; água: 29 reais; luz: 50 reais; aluguel: 170 reais; prestação de um rádio: 40 reais. Qual é o total de despesas a pagar? Quanto sobra do salário?" Dessa vez, deixe cada um trabalhar individualmente. Discuta novamente as estratégias de resolução.

Avaliação
Examine os cadernos, verificando as estratégias utilizadas e a forma de registro do cálculo de cada aluno. Para os que não escreveram nada, peça que explicitem verbalmente o caminho feito "de cabeça" e vá anotando conforme falam.

Modelo
EMPRESA: __________________________________
RECIBO DE PAGAMENTO DE SALÁRIO - REF: AGOSTO/2008
FUNCIONÁRIO: _____________________________
CARGO: ____________________________________



DESCRIÇÃO VENCIMENTOS DESCONTOS
SALÁRIO 458,00 ---
ALIMENTAÇÃO 130,00 ---
TRANSPORTE --- 27,00
INSS --- 50,00
TOTAL DE VENCIMENTOS
TOTAL DE DESCONTOS
LÍQUIDO A RECEBER



Consultoria: Priscila Monteiro
Selecionadora do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10. .

Consultoria:
Equipe pedagógica da área de Matemática em EJA do Colégio Imaculada Conceição, em Belo Horizonte.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

EJA (Educação de Jovens e Adultos) - A função do EJA

--------------------------------------------------------------------------------

A educação de jovens e adultos, visando a transformação necessária, com o objetivo de cumprir de maneira satisfatória sua função de preparar jovens e adultos para o exercício da cidadania e para o mundo do trabalho, necessita de mudanças significativas.
Essas mudanças foram norteadas pelos valores apresentados na Conferência Internacional de Hamburgo, na Lei 9394/96, no Parecer CEB 11/00, que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos e na Deliberação 08/00 CEB.
Sendo assim, e de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais para a concretização de uma prática administrativa e pedagógica verdadeiramente voltada para o cidadão, é necessário que o processo de ensino-aprendizagem, na Educação de Jovens e Adultos seja coerente com:

a) os Princípios Éticos da Autonomia, da Responsabilidade, da Solidariedade e do Respeito ao Bem Comum;
b) os Princípios Políticos dos Direitos e Deveres de Cidadania, do exercício da Criticidade e do respeito à Ordem Democrática;
c) os Princípios Estéticos da Sensibilidade, da Criatividade, e da diversidade de Manifestações Artísticas e Culturais;

E ainda, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais:

I - A Estética da Sensibilidade, que deverá substituir a da repetição e padronização, estimulando a criatividade, o espírito inventivo, a curiosidade pelo inusitado, e a afetividade, bem como facilitar a constituição de identidades capazes de suportar a inquietação, conviver com o incerto e o imprevisível, acolher e conviver com a diversidade, valorizar a qualidade, a delicadeza, a sutileza, as formas lúdicas e alegóricas de conhecer o mundo e fazer do lazer, da sexualidade e da imaginação um exercício de liberdade responsável.
II - A Política da Igualdade, tendo como ponto de partida o reconhecimento dos direitos humanos e dos deveres e direitos da cidadania, visando a constituição de identidades que busquem e pratiquem a igualdade no acesso aos bens sociais e culturais, o respeito ao bem comum, o protagonismo e a responsabilidade no âmbito público e privado, o combate a todas as formas discriminatórias e o respeito aos princípios do estado de Direito na forma do sistema federativo e do regime democrático e republicano;
III - A Ética da Identidade, buscando superar dicotomias entre o mundo da moral e o mundo da matéria, o público e o privado, para constituir identidades sensíveis e igualitárias no testemunho de valores de seu tempo, praticando um humanismo contemporâneo, pelo reconhecimento, respeito e responsabilidade e da reciprocidade como orientadoras de seus atos na vida profissional, social, civil e pessoal.
Por isso, a presente proposta e o currículo dela constante incluirá o desenvolvimento de competências básicas, conteúdos e formas de tratamento dos conteúdos que busquem chegar às finalidades da educação de jovens e adultos, a saber:
I - Desenvolvimento da capacidade de aprender e continuar aprendendo, da autonomia intelectual e do pensamento crítico;
II - Constituição de significados socialmente construídos e reconhecidos como verdadeiro sobre o mundo físico e natural, sobre a realidade social e política;
III - Domínio de competências e habilidades necessários ao exercício da cidadania e do trabalho;
IV - Desenvolvimento da capacidade de relacionar a teoria à prática e o desenvolvimento da flexibilidade para novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores;
V - Uso das várias linguagens como instrumentos de comunicação e como processos de constituição de conhecimento e de exercício da cidadania. (Parâmetros Curriculares Nacionais)
Fundamentado no princípio pedagógico da interdisciplinaridade, tem-se presente que a mesma pressupõe que todo conhecimento mantém um diálogo permanente com outros conhecimentos e que o aluno deverá ter desenvolvida sua capacidade de perceber essa relação entre os vários conhecimentos, entendendo as disciplinas como partes das áreas de conhecimentos que carregam sempre um certo grau de arbitrariedade e não esgotam isoladamente a realidade dos fatos físicos e sociais, sendo necessário buscar uma compreensão mais ampla da realidade.
E, na observância da contextualização a escola terá presente que:

I - Na situação de ensino e aprendizagem, o conhecimento é transposto da situação em que foi criado, inventado ou produzido, e por causa desta transposição didática deve ser relacionado com a prática ou a experiência do aluno a fim de adquirir significado;
II - A relação entre teoria e prática requer a concretização dos conteúdos curriculares em situações mais próximas e familiares do aluno, nas quais se incluem as do trabalho e do exercício da cidadania;
III - A aplicação de conhecimentos constituídos na escola às situações da vida cotidiana e da experiência espontânea permite seu entendimento, crítica e revisão. (Parâmetros Curriculares Nacionais)
Diante do mundo globalizado, que apresenta múltiplos desafios para o homem, a educação surge como uma utopia necessária indispensável à humanidade na construção da paz, da liberdade e da justiça social.
Deve ser encarada, conforme o Relatório da Comissão Internacional sobre a Educação para o Século XXI, da UNESCO, entre outros caminhos e para além deles, como uma via que conduz a um desenvolvimento mais harmonioso, mais autêntico, de modo a fazer recuar a pobreza, a exclusão social, as incompreensões, as opressões e as guerras.
A nova concepção deve fazer com que todos possam descobrir, reanimar e fortalecer seu potencial criativo. Isto supõe que se ultrapasse a visão puramente instrumental da educação, considerada como a via obrigatória para obter certos resultados (saber-fazer, aquisição de capacidades diversas, fins de ordem econômica) e se passe a considerá-la em toda sua plenitude: como realização da pessoa que, na sua totalidade, aprende a ser.
Nessa perspectiva, a educação deve organizar-se em torno de quatro aprendizagens fundamentais: aprender a conhecer adquirindo instrumentos de compreensão; aprender a fazer para agir sobre o meio envolvente; aprender a viver juntos, para participar e cooperar com os outros em todas a atividades humanas; aprender a ser para melhor desenvolver a sua personalidade. (Jacques Delors)
Desta forma, a educação de jovens e adultos deve ser pensada como um modelo pedagógico próprio, com o objetivo de criar situações de ensino-aprendizagem adequadas as necessidades educacionais de jovens e adultos, englobando as três funções: a reparadora, a equalizadora e a permanente, citadas no Parecer 11/00 da CEB/CNE.
Segundo o Parecer, a função reparadora significa a entrada no circuito dos direitos civis pela restauração de um direito negado: o direito a uma escola de qualidade e o reconhecimento de igualdade de todo e qualquer ser humano.
A função equalizadora dará cobertura a trabalhadores e a tantos outros segmentos da sociedade possibilitando–lhes a reentrada no sistema educacional.
Finalmente, a educação de jovens e adultos deve ser vista como uma promessa de qualificação de vida para todos, propiciando a atualização de conhecimentos por toda a vida. Isto é a função permanente da educação de jovens e adulto.
Fonte: www.catedraconcurso.com.br

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Uma ótima aula para iniciar o ano com o EJA

Usando estratégias de leitura durante a alfabetização.Fechar visualização Informações da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
Realizar antecipações e interpretações durante a leitura; ajustar o texto falado ao texto escrito durante a leitura; desenvolver a atitude de colaboração.

Duração das atividades
3 aulas

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Faça um levantamento se os alunos conhecem a música Aquarela, de Toquinho.

Data de publicação
30/10/2008

Estrutura Curricular
Ensino Fundamental Inicial | Alfabetização | Processos de leitura

Autor

Nome
Eliane Candida Pereira

Instituição
Universidade de São Paulo
UF
São Paulo

Co-Autor

Estratégias e recursos da aula
Para iniciar o trabalho pergunte aos alunos se sabem o que é uma aquarela e suas características; depois se conhecem a música Aquarela, de Toquinho. Levante hipóteses sobre o porquê o autor deu esse nome à canção. Em seguida, faz-se a apresentação do vídeo disponível no Portal do Professor:

Aquarela

Após exibição do vídeo, distribua cópias da música e estimule que cantem para que aprendam a letra. Garanta que saibam cantar ao menos alguns trechos da música de cor.

Em seguida peça que acompanhem a leitura ouvindo a canção. Brinque de pausar o vídeo em alguns trechos para indicarem em que palavra pararam, verificando se estão conseguindo fazer o ajuste entre o texto falado e o escrito.


Proponha que façam novas ilustrações para a música, para que juntos produzam um novo "vídeo-clipe". Para isso, forme duplas e distribua trechos da música para que descubram o que está escrito. Peça, então, que em duplas, façam a ilustração do trecho que receberam. Deverão combinar o que querem ilustrar e os papéis de cada um nessa ilustração.


Usando um scaner é possível digitalizar as ilustrações das duplas. Junto com os alunos, coloque as imagens na ordem em que devem aparecer de acordo com a canção e nomeie os arquivos de acordo com essa ordem. Insira as imagens produzidas pelos alunos e a música em uma ferramenta de apresentação digital, como o Power Point, por exemplo, para que a turma possa apreciar o novo “video-clipe” produzido pelo grupo.


Recursos complementares

Avaliação
Observe se os alunos que ainda não lêem convencionalmente utilizam estratégias de leitura para localizar o trecho da música; questione "como sabem que está escrito", provocando-os a argumentar o que já sabem sobre o sistema de escrita .
Atividades Retiradas do "Portal do Professor"

domingo, 5 de abril de 2009

COMO COMEÇAR

Para atender bem a turma

Identifique quem são e o que fazem seus alunos antes de começar o trabalho pedagógico.
Disponha mesas e cadeiras de forma a facilitar o diálogo.
Identifique a sala como local onde estudam jovens e adultos, colocando o nome na porta ou trabalhos expostos nas paredes.
Contextualize novas informações e estabeleça relações com o cotidiano.
Valorize as habilidades dos estudantes, sua profissão e produções.
Elogie a capacidade de pensar e construir idéias, principalmente quando alguém demonstrar que se sente incapaz ou inseguro.
Mantenha a turma atenta usando o diálogo e debates, voz firme e em volume adequado e, ao escrever no quadro-negro, use letras grandes.
Conte a história das descobertas matemáticas e científicas, relacione a atividade proposta com sua aplicação no cotidiano e proponha leitura de temas pertinentes.
Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/0167/aberto/mt_247756.shtml



Links interessantes:


Blog do EJA Centro Matutino Florianópolis
http://ejamcentrofloripa.blogspot.com/

Blog da Educação de Joven e Adultos do Município de Fpolis
http://www.nucleosejafloripa.blogspot.com/

Educação Continuada - Prefeitura Municipal de Florianópolis
http://www.pmf.sc.gov.br/educa/ed_continuada.htm

Educação de Jovens e Adultos - MEC
http://portal.mec.gov.br/secad/index.php?option=content&task=view&id=116&Itemid=248

Proposta Curricular de Geografia - IIº Segmento - MEC
http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/propostacurricular/segundosegmento/vol2_geografia.pdf

Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) http://encceja.inep.gov.br/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1

CEE - Conselho Estadual de Educação
Legislação > Educação Básica > Educação de Jovens e Adultos
http://www.cee.sc.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=59&Itemid=70

Fóruns EJAs Brasil
http://www.forumeja.org.br/enejas/

Legislação
http://portal.mec.gov.br/secad/index.php?option=content&task=view&id=123

Diretrizes do EJA
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/PCB11_2000.pdf

1º DIA DE AULA PARA O EJA

Não trate alunos de EJA como crianças
Editado por Beatriz Vichessi (novaescola@atleitor.com.br)

Pessoas com mais de 15 anos - mesmo na condição de alunos - não são crianças crescidas. Da mesma forma que, no trabalho, um senhor de 50 anos não ouve do chefe "Vamos fazer um relatório bem bonitinho", ele não deve vivenciar situações como essa na escola. O trato infantilizado é um dos motivos da evasão nas turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e nasce com a ideia equivocada de que se deve dar ao estudante, jovem ou adulto, o que ele não teve quando criança. Por causa disso, é preciso também mudar a abordagem e, muitas vezes, o conteúdo. Trabalhar com material didático infantil sem levar em conta as expectativas de aprendizagem e os conhecimentos prévios é um equívoco com a mesma raiz. A EJA tem de ser encarada como um atendimento específico, que pede um currículo próprio. Só assim o grupo vai aprender e tomar consciência do que está fazendo. Se o educador quiser abordar a origem do ser humano, deve tratar o tema de forma adulta, com respeito à diversidade religiosa - sem se desviar das propostas curriculares - e aprofundar a discussão científica, mais do que faria numa turma de crianças. E, embora a necessidade de respeito à vivência prévia valha para todos os alunos, seja lá qual for a idade deles, no caso de jovens e adultos essa é mais uma premissa fundamental. Cantigas e parlendas - usadas na alfabetização dos pequenos - podem ser substituídas por poesias, mais apropriadas para os leitores mais velhos.


--------------------------------------------------------------------------------
O que um professor de EJA precisa saber?

Valorizar os conhecimentos do aluno, ouvir suas experiências e suposições e relacionar essa sabedoria aos conceitos teóricos.
Dialogar sempre, com linguagem e tratamento adequado ao público.
Perguntar o que os estudantes sabem sobre o conteúdo e a opinião deles a respeito dos temas antes de abordá-los cientificamente. Dessa forma, o educador mostra que eles sabem, mesmo sem se dar conta disso.
Compreender que educar jovens e adultos é um ato político e, para isso, ele deve saber estimular o exercício da cidadania.
http://revistaescola.abril.com.br/

quinta-feira, 2 de abril de 2009

PÁSCOA É VIDA

JESUS CRISTO É MEU AMIGO
NA PÁSCOA VEM VISITAR
ME ENCHE DE ALEGRIA
E O GIRASSOL BRLHA
PRA LHE SAUDAR

OS OVOS REPRESENTA A VIDA
O PÃO O SANGUE DE JESUS
O CORDEIRO É A ANTIGA LEI
E É NA BÍBLIA QUE SE ENCONTRA
A LUZ

O COELHO É NOSSO AMIGO
COM ELE VENHO ACENDER
POR ISSO A PÁSCOA É FESTA
A FECUNDIDADE E O RENASCER
autora: Ailce Costa
música: O cravo brigou com a rosa